Pages

sexta-feira, 28 de abril de 2017

The Scarlet Shorts | Assédio Sexual Masculino


Assédio nunca é bom, independentemente do género sexual. Sim, a percentagem de mulheres que sofrem deste problema é drasticamente superior à de homens, mas isso não significa que o contrário não deva ser levado a sério. Atenção, sou o maior activista no que toca ao respeito em geral, e em especial pelo sexo feminino. Sem vocês, mulheres, não éramos nada, portanto há que vos dar o merecido mérito. No entanto, é importante expor algo que começa a ser cada vez mais comum e pouco ou nada se fala.

As mini-saias ainda são vistas por algumas pessoas como o cartão de convite para o abuso masculino. A mentalidade "sai assim à rua e depois admira-se" ou "está mesmo a pedi-las", como se a forma como nos vestimos fosse desculpa para actos violentos e nojentos por parte de alguns indivíduos, continua presente e em vez de se erradicar, parece propagar-se com a mesma facilidade de um fogo no Verão. O que poucos se apercebem é que esta situação deixou de ser exclusiva do sexo feminino. Pois é, o número de rapazes que sofrem de "piropos", olhares invasivos ou até de fotografias indesejadas parece estar a aumentar.

Não sou nenhum exemplo de beleza e tão pouco tenho um corpo trabalhado, mas isso nunca impediu de passar por experiências que nunca pedi. Desde ter os meus 14 anos e ao passar junto a uma obra ouvir "não é uma princesa, mas também marchava" ou vestir uns meros calções num dia de calor e alguém dizer "nice ass!" em plena Baixa Lisboeta, o sentimento é um misto de receio e choque. Não vou ser hipócrita e dizer que não gosto de ser elogiado, quem não gosta? Mas há maneiras de o fazer que não envolvam estranhos, palavreado grosseiro ou invadirem o meu espaço pessoal.

Como eu há mais. Há uns anos atrás estava a atravessar uma passadeira com um colega da universidade quando o carro que pára para passarmos apita, começa a assobiar e a dizer mais coisas que sinceramente já não me recordo. Na altura fiquei bastante confuso por não compreender o que raio tínhamos na testa para fazer de nós um "alvo". Quando lhe perguntei o que tinha sido aquilo, ele disse com um ar de quem já estava habituado "é dos calções". Se basta isso para sermos abordados, imagino o horror que as raparigas passam todos os dias.

Ainda nem estamos no Verão e já me sinto mal a andar de calções na rua. Modéstia à parte tenho some junk in my trunk como cantava a Fergie na "My Humps" dos Black Eyed Peas. Resultado, se não tiver um casaco que cubra metade, tenho sempre os olhos da NASA na minha lua cheia. Acaba por ser constrangedor, especialmente quando são apanhados em flagrante. O assédio vem por parte tanto de homens como mulheres, sendo as últimas as piores. Já vos contei num acto do "Auto dos Transportes do Inferno", que um dia adormeci no comboio e acordei com a mão de senhora na minha perna. Ao ver que acordei, tentou disfarçar como se estivesse a coçar-se e "roçou" em mim sem querer. Sem comentários.

É preciso compreender que qualquer forma de assédio além de indesejado, é crime. Uma coisa é olharem disfarçadamente para alguém que considerem bonito ou em português corriqueiro, "podre de bom". Todos nós já o fizemos. Outra coisa é um olhar de lince como se estivessem a despir a pessoa com os olhos. Isso é horrível e assustador. Muito menos é aceitável tocarem, falarem ou fotografarem outra pessoa à socapa. Sim, porque este terceiro exemplo também acontece e com muita frequência. As pessoas esquecem-se que os vidros do metro, comboio e autocarros são espelhados e que, como tal, é possível ver o reflexo dos telemóveis. Quer seja contra homens ou mulheres, isto tem que parar. Respeitem o próximo como gostariam que respeitassem os vossos pais, filhos e irmãos. Se estão desesperados por acção, têm bom remédio, paguem a especialistas da área ou contentem-se com o que a internet tem para vos oferecer.

Na minha lua só pisa quem eu quero.


Pergunta escusada mas, já foram vítimas de assédio? É frequente? Qual foi a vossa pior experiência?

5 comentários:

  1. O meu pai viveu em Londres durante umas temporadas - acho que era da tua idade, até - e também sofreu muito de assédio (mais que em Portugal). Ele era o único homem no seu trabalho e tinha de usar farda. Mas não havia balneário para ele. Então as mulheres diziam que ele tinha de se trocar no balneário delas... só que se recusavam a sair. Queriam assistir a tudo. E riam-se, ficavam loucas! Chegou ao ponto de ele se ver obrigado a ir para a casa de banho pública para vestir a farda. Se hoje, com todo o alerta social, ainda é difícil lidar com assédio (especialmente masculino, que pouca gente aborda), imagina há 20 anos...

    O pior assédio que eu tive foi acordar num comboio e ver um homem, que tinha idade para ser meu avô, à minha frente, sentado, de berguilha aberta e nem preciso de te explicar mais porque estarás certamente a apanhar o que ele estava a fazer. Foi assustador a forma como me olhava, sai a correr para falar com o pica, que o apanhou em flagrante. Foi expulso do comboio e ainda foi enxuvalhado por todas as mulheres que estavam na carruagem. Um pesadelo que ainda hoje me custa a esquecer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto, o assédio sexual contra homens nunca é falado mas o certo é que existe há muito tempo. Em relação ao que te aconteceu... ew. Nem imagino como te deves ter sentido, que situação horrível!

      Eliminar
  2. Eu já dei por mim a evitar andar a pé só para não ter de passar por isso. Em Portugal é dramático, claro que há assédio pelo mundo fora, mas em Portugal é qualquer coisa de assustador. Os homens acham-se simplesmente no direito de dizerem e fazerem o que querem porque "é da natureza deles". Felizmente, deixei de me preocupar com coisas dessas, mas quando era mais novinha fui muitas vezes a chorar para casa, chorar de nojo, simplesmente. Ainda há um longo caminho a percorrer neste campo

    ResponderEliminar
  3. Parte das minhas más recordações que tenho do meu tempo de escola era realmente de assedio e olha que eu nem faço parte do role das miudas jeitosas da escola mas lá que acontecia, acontecia...E sempre que eu decidia usar saia :x
    Eu também não entendo porque as pessoas o fazem...da forma como o fazem! Como se agora não pudéssemos andar vestidos como queremos.
    Actualmente tenho mais a atitude "i dont give a damn" então piropos e coisas assim passam-me completamente ao lado, foi o melhor que fiz :p


    Beijinhoos****
    Double Makeup

    ResponderEliminar
  4. Aconteceu-me muito recentemente. Estava de vestido, não muito comprido, mas também não muito curto, porque nem eu me permitiria a isso, e quando estava a caminho da estação, eu só sei que um homem passou por mim, olhou-me de cima a baixo, fixou o olhar na pernas, e ainda disse algo que não percebi, pois foi noutra língua. Aquilo incomodou-me bastante, porque usar vestido não é algo que seja habitual da minha parte, mas o facto de ter sido vítima de algo que muitas mulheres são apenas por utilizarem algo mais "ousado", choca-me. E nem é necessário ser-se isso, basta a pessoa ter chamado à atenção sem se aperceber, e pronto.
    E quando falo desta situação, também me refiro às buzinas e tudo o mais. É nojento!

    LYNE

    ResponderEliminar

Obrigado pela leitura e comentário!
Eventuais questões serão respondidas aqui, na respectiva publicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...